BES Run Challenge – Lisboa

A minha primeira corrida de 10km foi feita com muitíssimo esforço, com um pé lesionado e uma franca falta de treino. Foi por isso que soube especialmente bem chegar ao fim depois de 1h14m43s e receber esta medalha, a terceira da minha colecção. 🙂
image

E vocês? Que têm feito? Muito treino?
VAMOS LÁ!!!

Anúncios

Dicas de Domingo, 6ª edição

O Outono deixa-vos deprimidos? A mim é quase certo que nos meses de Outubro e Novembro me vou um pouco abaixo. A solução parece passar por aproveitar estes lindos fins-de-semana e tarde de sol para ir correr, porque parece que Correr três vezes por semana é tão eficaz quanto antidepressivos. 🙂

O outono passa a correr!

São muitas as corridas que há por Lisboa nesta altura do ano… Quase dá vontade de ir a todas, se as pernas e a carteira o permitissem!

 

CORRIDA DESTAK – 23 Set às 10.00. Da estação da CP de Carcavelos à Baía de Cascais (10 km) 15€.

RTP MEIA MARATONA VODAFONE ROCK’N’ROLL – 30 Set às 10.30. Da Ponte Vasco da Gama ao Pavilhão Atlântico (21 km) 19€

MINI MARATONA DE PORTUGAL EDP – 30 Set às 10.30. Da Ponte Vasco da Gama ao Pavilhão Atlântico (6 km) 17€

CORRIDA DO AEROPORTO – 7 Out às10.00. Começa e termina no terminal de carga do aeroporto (9 km) 8€ até terça. 10€ a partir de terça.

CORRIDA DA ÁGUA – 7 Out às10.00. Começa e termina no Parque do Calhau (10 km) 10€

CORRIDA DO SPORTING – 14 Out às 10.30. Começa e termina no estádio de Alvalade (10 km) 12€ (até dia 30).  15€ depois de dia 30.

CORRIDA DO TEJO – 21 Out às10.00 De Algés à Praia da Torre (10 km) 14€ (até 30 Set). 16€ a partir de dia 30.

Fonte: http://timeout.sapo.pt/news.asp?id_news=7780

Dicas de Domingo, 5ª edição

A corrida não é um desporto de equipa e não exige companhia, mas por vezes é praticada em pequenos ou grandes grupos.

Se por um lado é libertador ir correr sozinha, às horas que se quer, ao ritmo que se quer e pelo percurso que se quer, por outro também é muito agradável ter companhia, ir descontraidamente a conversar ou mais competitivamente a tentar acelerar o ritmo.

Pessoalmente adoro o facto de a corrida ser algo que posso fazer sozinha, sem ter de depender dos horários, gostos e vontades de outras pessoas. Chamem-me anti-social, mas as corridas são uma excelente oportunidade para estar comigo mesma e pôr os pensamentos em ordem. Geralmente durante as corridas resolvo problemas, tomo resoluções e ganho motivação para outros aspectos da minha vida!

Mas de vez em quando sou desafiada, ou desafio eu, amigos ou a minha irmã para uma corrida em grupo. E estas corridas são deliciosas! É uma forma de estar com os amigos alternativa à tradição de nos encontrarmos sempre à volta duma mesa a comer, e é um tempo “produtivo” para todos. Por outro lado, a descontracção e espírito de solidariedade não podiam ser maiores, e pode até instalar-se um ambiente propício a desabafos e confissões, mas o ideal é manter o tom sempre positivo!

Mas onde está a parte das Dicas propriamente ditas aqui? Bom, o que vos lanço esta semana é o desafio de fazerem pelo menos um treino acompanhados, tendo em conta as seguintes vantagens:

  • depois de se combinar com outra pessoa é mais difícil a preguiça vencer e acabarmos por não ir treinar;
  • pode deixar-se o leitor de MP3 e os phones em casa e ir mais liberto;
  • é uma excelente oportunidade para rever amigos que não se vê há algum tempo;
  • se forem num passo descontraído a conversa flui (quando têm oportunidade de estar na conversa uma hora seguida sem interrupções?);
  • se a conversa fluir, o tempo passa sem darem por isso e correm sem grande esforço;
  • com o ambiente mais competitivo são levados a esticar um pouco o vosso ritmo/distância habitual, o que contribui para um treino de resistência muito produtivo;
  • correr sozinho pode levar a um aumento de hormonas do stress, enquanto que correndo acompanhado se está imune… ou pelo menos é o que este estudo conclui!

[Edit] Editado para agradecer ao Pedro Ganço a ideia do tema para as Dicas desta semana! 🙂

Dicas de Domingo, 4ª edição

Hoje as Dicas são em forma de discussão aberta convosco e vão decorrer, espero, na caixa de comentários durante a semana.
Para abrir a discussão, deixo algumas questões:

– em que altura do dia gostam mais de correr, e porquê?
– têm algum cuidado especial com aquilo que comem nas horas anteriores aos treinos?
– que equipamento consideram indispensável?
– como fazem o aquecimento e os alongamentos finais?

Aproveitem para deixar as vossas dicas!
Boas corridas e até para a semana!

Dicas de Domingo, 3ª edição

Eish, nem acredito que já é Setembro! Por acaso nem é a aproximação da corrida que me faz temer (decidi só fazer a Mini por razões que posso vir a explicar), mas sim a entrega da minha tese!

Esta semana, tal como planeado, corri mais de 10km (e ainda falta a corrida de hoje), foi uma boa semana running-wise.

Hoje gostava de deixar como sugestão alguns blogs e artigos sobre corrida que tenho lido e onde às vezes encontro muito boa informação e uma grande dose de motivação por haver por aí outros corredores blogueiros a relatar as suas aventuras. De entre os que sigo:

Will Run For Glitter – as venturas e desventuras (e, infelizmente, lesões) duma corredora viciada desde há uns anos atrás que corre praticamente todos os dias. De momento encontra-se a recuperar duma lesão e é com muito esforço que resiste a ir correr.

Música para correr mais longe – artigo da Lifestyle do Público (Ganço, aquele post não está esquecido!).

Stride and Joy – o subtítulo do Blog “An Aussie in Boston learns to run. And tries not to fall down.” descreve bem o blog, se bem que eu diria que a autora já está muito bem encaminhada, já tendo feito pelo menos uma Meia-Maratona e tudo.

É preciso aprender a correr?

O New York Times apresenta hoje um artigo sobre um estudo feito sobre a evolução da eficiência da corrida (quantidade de oxigénio necessária para correr a determinada velocidade) ao longo do tempo. O estudo foi feito com um grupo de mulheres que foram introduzidas à corrida pela primeira vez. Antes e após 10 semanas de treinos, a forma como estas mulheres corriam, o ritmo cardíaco e outros parâmetros foram avaliados.

A conclusão é que simplesmente com a experiência as pessoas tendem a modificar e optimizar a sua passada e a tornar-se mais económicas em termos de oxigénio. No caso deste grupo de estudo, a capacidade de utilização de oxigénio aumentou 8.5%.

Para ler aqui.